YouTube planeja medidas para proteger anunciantes

Comunique-se-Tec & Redes

Redação Comunique-se@comuniquese


“Anunciantes que querem atingir estas pessoas financiam a economia de criadores. Cada um destes grupos é essencial para o ecossistema criativo dos YouTubers”, diz CEO da plataforma


Em texto assinado pela CEO do YouTube, Susan Wojcicki, a plataforma informou que está adotando medidas para proteger anunciantes de conteúdo impróprio. De acordo com a executiva, a ideia é que as marcas tenham segurança de ter sua publicidade rodando ao lado de conteúdos que reflitam seus valores. As informações foram publicadas no blog do Google, na terça-feira, 5.


“Acreditamos que há necessidade de uma nova forma de anunciar no YouTube, considerando cuidadosamente quais canais e vídeos são elegíveis para anúncios”, informa a CEO da plataforma. Ela informa que o site está planejando aplicar critérios rígidos, fazer mais curadoria manual, além de aumentar expressivamente o número de revisores de anúncios para assegurar que eles sejam veiculados apenas onde devem. Além disso, Susan avalia que esta medida vai ajudar os criadores a ver mais estabilidade em torno de suas receitas.


“Estamos tomando essas medidas porque é a coisa certa a ser feita. Criadores produzem conteúdos inacreditáveis que geram bases de fãs em todo o mundo. Fãs vão ao YouTube para assistir, compartilhar e se engajar com conteúdos. Anunciantes que querem atingir estas pessoas financiam a economia de criadores. Cada um destes grupos é essencial para o ecossistema criativo dos YouTubers – ninguém pode prosperar no YouTube sem o outro – e todos os três merecem nossos melhores esforços”, declara a executiva.


Susan avalia, ainda, que as ameaças a plataforma de vídeos do Google aumentarão e não serão as mesmas nos próximos anos. Com base nisso, a profissional salienta que a execução dos métodos de segurança da plataforma deve ser aprimorada.


 


“Mas não importa o desafio que surja, nosso comprometimento em combater essas ameaças será mantido e inabalável. Seguiremos a direção necessária para proteger nossa comunidade e assegurar que o YouTube continue a ser o lugar onde os criadores, anunciantes e audiência possam prosperar”, finaliza Susan.

Voltar