Faroeste moderno com vencedor do Oscar é a nova sensação da TV paga dos EUA

Notícias da TV-Séries

Imagens: Divulgação/Paramount Channel

Kevin Costner na primeira temporada do drama rural Yellowstone, fenômeno na TV norte-americana


JOÃO DA PAZ - Publicado em 18/07/2018, às 05h48


Uma série de um canal nanico se tornou a nova sensação da TV paga norte-americana. Yellowstone, do Paramount Channel, faroeste moderno protagonizado pelo vencedor do Oscar Kevin Costner, está com média de 2,35 milhões de telespectadores. Somente as produções da franquia The Walking Dead têm uma audiência maior na TV por assinatura.


Após a exibição de três episódios, esse número registrado por Yellowstone é bastante expressivo, maior do que dramas consagrados, como Homeland (Showtime), e superior ao atingido pela minissérie American Crime Story: O Assassinato de Gianni Versace (FX), favorita ao Emmy.


Chama a atenção também o fato de Yellowstone ter ficado fora do ar por uma semana, devido ao feriado do Dia da Independência dos Estados Unidos (4 de julho), e  ter ganhado público, ao invés de perder. O terceiro episódio, exibido no último dia 11, foi visto por 2,17 milhões de pessoas. O anterior, no ar dia 27 de junho, contou com 100 mil telespectadores a menos.


A série foi lançada no dia 20 de junho, e o primeiro episódio foi a melhor estreia da TV paga dos Estados Unidos desde American Crime Story: O Povo contra O.J. Simpson (2016), com 2,83 milhões de espectadores. E o número de pessoas que viu a estreia gravada, dentro de três dias, cresceu 78% em comparação com a transmissão "ao vivo".


No rancho fundo...
Uma das apostas da chamada summer season, Yellowstone (inédita no Brasil) conta a história de uma família dona do maior rancho dos Estados Unidos. A fazenda, localizada no Estado de Montana (embora a série tenha sido filmada em Utah), está no centro de uma disputa que envolve uma reserva indígena e empresários.


Costner (que levou o Oscar de direção por Dança com os Lobos, de 1990) interpreta o patriarca John Dutton, que precisa administrar os negócios enquanto lida com quatro filhos problemáticos, todos puxa-saco dele. A estrutura da série não tem inovações, por isso é de fácil assimilação. Como tudo é bem montado, a história não cansa e sempre deixa um gostinho de quero mais.



Kelly Reilly em Yellowstone; série abole cenas de estúdios para mostrar imagens como esta 


"Todo mundo sabe como é querer agradar um pai e ter uma figura paterna exigente ao extremo", disse Costner em entrevista à Variety. O ator comentou que esse é um dos aspectos que faz o público se identificar com os personagens da trama.


Lee, interpretado por Dave Annable, é o filho mais velho, o mais leal do quarteto, mas sem tato para tocar a fazenda como o pai. Já o advogado Jamie (Wes Bentley) é o bajulador, sempre tentando impressionar o patriaca, que tem zero confiança nele.


Única mulher herdeira da família, Beth (Kelly Reilly) é a queridinha do papai, contudo está pouco se lixando para o rancho. Seu negócio é beber todas e fazer muito sexo. Por fim, o filho caçula, Kayce (Luke Grimes), abandonou o império do pai para ter uma vida simples ao se casar com uma índia.


Belas imagens
Um ponto forte de Yellowstone é a fotografia. Cada episódio traz belíssimas cenas do interior americano, que não são vistas com frequência no mundo das séries, predominantemente ambientada em áreas urbanas.


O visual agrada a quem gosta da vida no campo, com muitos cavalos e bastante gado. Até rodeio ganha seu espaço. No figurino, não poderia faltar o tradicional chapéu de cowboy, jaquetas jeans e cintos com brilhantes fivelas.


 


 

Voltar