Saída de Sorrell derruba ações do WPP

Meio & Mensagem-Comunicação – Publicidade

Na abertura do primeiro pregão após a notícia envolvendo o agora ex-CEO, os papéis do grupo apresentaram queda de 6% na Bolsa de Valores de Londres


Luiz Gustavo Pacete
16 de abril de 2018 - 9h33


As ações do grupo WPP, negociadas na Bolsa de Valores de Londres, abriram esta segunda-feira, 16, com queda. É o primeiro pregão após a notícia sobre a saída de Martin Sorrell do comando do grupo após investigação sob má conduta. Na manhã, a maior baixa foi de 6% e ocorreu por volta de 12h10 (8h10 no horário de Brasília). Às 12h50, os papéis sofriam leve recuperação com queda de 5.47%.


O executivo mais importante da indústria global de comunicação e marketing se despediu na noite do sábado, 14, do grupo que construiu nos últimos 33 anos e transformou na maior holding global de agências de publicidade e empresas de serviços de marketing.


Os resultados financeiros da companhia no ano passado apresentavam desafios. Em 2017, o WPP teve queda de 0,9% em vendas líquidas. O balanço financeiro da holding, divulgado em março apontou que, no quarto trimestre, as vendas líquidas orgânicas (que excluem alterações na moeda e aquisições) caíram 1,3%.


A taxa de crescimento de 0,7% ficou abaixo das expectativas dos analistas, que consideram este relatório o pior apresentado pela companhia desde a crise financeira. Na ocasião, a holding não apontou previsão de crescimento para 2018. Com o resultado, as ações do WPP caíram 14%.


Relembre os últimos meses de Martin Sorrell no WPP:


14 de abril de 2018
A carta de despedida: “WPP será sempre meu bebê”
Aos 73 anos, empresário deixa o grupo ao qual se dedicou nos últimos 33 anos e transformou na maior holding global de agências.


14 de abril de 2018
Sob pressão, Martin Sorrell deixa WPP
Saída acontece ao final da investigação sob má conduta do executivo. O chairman do grupo, Roberto Quarta, assume a posição até que novo CEO seja indicado. Dois profissionais são promovidos a COO: Mark Read, CEO da Wunderman e do WPP Digital, e Andrew Scott, COO da holding na Europa.


4 de abril de 2018
Sorrell responde sobre investigação do WPP
CEO da holding começa a ser investigado após alegações de “más condutas” quanto a recursos financeiros da companhia.


3 de abril de 2018
WPP instala investigação independente contra Martin Sorrell
Decisão do board da holding inglesa é baseada em alegações de “má conduta pessoal” do CEO.


15 de março de 2018
WPP corta bônus e Martin Sorrell tem salário reduzido
Plano de incentivo da holding renderá 10 milhões de libras ao executivo; no ano passando, montante foi de 41,6 milhões de libras.


1 de março de 2018
WPP: sem previsão de crescimento para 2018
Resultados financeiros relativos a 2017 fizeram as ações do grupo britânico despencarem 14% nesta quinta-feira, 1º.


 


 

Voltar