SET eXPerience discute evolução da TV 3.0

ABERT

Sexta, 26 novembro 2021 13:08


Os caminhos da TV digital no Brasil foram tema de debate durante o SET eXperience, encontro virtual promovido pela Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão (SET), na quarta-feira (24), que contou com a participação de representantes e entidades ligadas ao setor de radiodifusão.


O presidente da ABERT, Flávio Lara Resende, considera o projeto da TV 3.0 de fundamental importância para a televisão aberta se manter competitiva e forte. Para ele, essa evolução tecnológica trará avanços significativos, melhorando em muito a experiência de emissoras e do telespectador.


"As emissoras de televisão poderão se beneficiar em seus modelos comerciais, direcionando, além da programação segmentada por geografia, conteúdo e publicidade para audiências específicas, com base na massa de dados obtida e na criação de perfis individuais dos usuários", afirmou Lara Resende.


Lara Resende elogiou a condução pelo Fórum SBTVD e o apoio do Ministério das Comunicações na etapa de testes e lembrou que existem vários desafios, em especial no que diz respeito à canalização. “Temos uma faixa remanescente de UHF, que está amplamente ocupada pelos canais digitais atuais”, explicou. Ele reforçou que o diálogo com o setor é muito importante para se construir um arcabouço regulatório simétrico, que assegure lugar à inovação e que atenda às expectativas e necessidades da sociedade e da radiodifusão. 


"A ABERT tem grande experiência em trabalhos dessa natureza e aportou muito desse conhecimento no processo de digitalização da TV aberta. Estamos e permaneceremos à disposição para contribuir nessa nova etapa", concluiu.


O presidente da ABERT ressaltou ainda que numa próxima etapa haverá a necessidade de se discutir uma regulamentação específica para dar sustentação à introdução dessa nova geração de TV. 


Já o secretário de Radiodifusão do Ministério das Comunicações (MCom), Maximiliano Martinhão, destacou a criação de uma área específica voltada para a inovação e o futuro da televisão e da radiodifusão. 


"Tivemos a oportunidade de fazer a demonstração de duas tecnologias que podem vir para o sistema de televisão 3.0, que foi o áudio imersivo, e a televisão 4k e 8K, com imagens de altíssima qualidade. Isso tudo porque nós temos a convicção de que as comunicações estão passando por uma transformação e evolução tecnológica. É importante que a televisão se prepare para todos os processos, como internet, 5G, inteligência artificial, que estão acontecendo em paralelo com o futuro”, ressaltou.


Sobre o modelo de negócios, Martinhão acredita que a TV 3.0 é uma evolução tecnológica com impactos positivos no sentido de trazer novas opções para os radiodifusores, como geração de receita, oferta de serviço, melhoria da qualidade e da experiência do usuário. “Temos a visão de que a televisão vai continuar sendo relevante, e teremos bastante oportunidade a ser explorada por meio da televisão 3.0, em função da flexibilidade que ela traz e diferentes alternativas tecnológicas”, complementou. 


 


Também participaram do debate o presidente do Fórum SBTVD, Luiz Cláudio Costa, e o presidente da Abratel, Márcio Novaes. A mediação do encontro ficou a cargo do presidente da SET, Carlos Fini.



 


 

Voltar